Adultos que não souberem programar a partir da nova geração podem ser “analfabetos do século 21”, segundo especialistas. Uma das especialidades vistas muitas das vezes com complexidade é a programação , no nosso século 21 são habilidades de profissionais da área de informatica, no mercado profissional já existem diversas ferramentas e recursos de programação direcionado ao público infantil. Por meio de instrumentos como livros , sites e cursos ,com objetivo de introduzir conceitos básicos da programação, crianças e até mesmo bebês podem desde cedo se familiarizar com o mundo das linguagens.

Quanto mais cedo, mais fácil de assimilar”, disse à BBC Brasil a britânica Stephanie Shirley, de 84 anos, um dos ícones da tecnologia da informação. Ela sugere que crianças a partir de dois anos já sejam apresentadas às idéias básicas por trás da programação.

 

O alfabetismo digital é a habilidade do século 21 e as pessoas que não aprenderem hoje serão consideradas analfabetas no futuro”, disse à BBC Brasil Shirley, na mesma semana em que recebeu o título de Dama Honorária das mãos da rainha Elizabeth 2ª, no Palácio de Buckingham, em Londres.

 

No Brasil, a informática não faz parte do currículo escolar obrigatório. Estamos atrás de países como Finlândia, Austrália, Inglaterra, Japão e Estônia, onde crianças com 6 e 7 anos de idade já entram em contato com os fundamentos de codificação.”

Nativos digitais

Nessa nova geração , crianças tendem ter mais facilidade a mexer nos meios eletrônicos como Smartphones e tablets , isso não quer dizer que elas estão preparadas para serem produtoras de tecnologia, serão apenas consumidoras.

Jogar, digitar, mandar mensagens não torna alguém fluente em computação. As crianças, hoje em dia, tem familiaridade em usar as novas tecnologias, mas não em criá-las. É como se elas pudessem ler, mas não escrever”, afirmou Mitchel Resnick, professor do Mit.

Importante que saibamos que o objetivo não é mostrar o computador e  codificações complexas para a criança e sim mostrar uma forma da lógica e lúdica das linguagens baseadas em comandos.

Já resiste ferramentas como a que o Brasileiro Leo Burd, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts ( MIT, na sigla em inglês) , desenvolveu cm Mitchel Resnick uma plataforma chamada Scratch de acesso online e gratuita, com objetivo de ensinar crianças a partir de 6 anos a programar.

Fluência em linguagem de códigos

Diz uma pesquisa feita pela Universidade Stanford, nos EUA indicando que até 2030 a inteligência artificial estará por exemplo sendo introduzida atráves dos estudos das crianças de modo que ajude em nossa saúde e até mesmo em organização do trânsito.

Então a importância de dominar a programação é independente da profissão das pessoas, além da área de informática, medicina , direito, educação física, por exemplo.

Aprender a ler e escrever é uma coisa importante para a vida das pessoas. Isso não significa que todo mundo que aprende a escrever será um escritor profissional. Mas é importante ganhar fluência”, afirma Burd, do MIT.

Programar pode ser pode influenciar mais do que imaginamos em nossas vidas ou melhor, na vida de nossos filhos, netos e o fato deles estarem aprendendo, produzindo de forma criativa e divertida, a programação que é vista com bastante complexidade como citei no inicio da matéria,também pode ser introduzida com muita simplicidade.